reunião de pais 6 dicas

Reunião de pais: seis dicas para torná-la um sucesso

Comunicação Escolar

O diálogo constante entre a escola e as famílias pode influenciar, de modo efetivo, no processo de aprendizagem dos estudantes. E a reunião de pais é uma excelente oportunidade de integração, possibilitando que eles se envolvam no ensino dos filhos a partir de uma posição de conhecimento e participação. 

Esses encontros têm por objetivo discutir comportamentos, alinhar expectativas, inovar as práticas pedagógicas e entender quais são os próximos passos na educação dos alunos.


Use reuniões de forma estratégica

O momento de interação entre a família e a instituição de ensino também pode funcionar como um termômetro para fidelizar seus clientes. Pais que não sabem o que acontece na instituição não conseguem enxergar os benefícios que ela tem trazido na vida dos seus filhos e dificilmente o manterão ali por bastante tempo. 

Por isso é preciso trazê-los para dentro da escola, mostrando-os continuamente quais são os diferenciais, os valores compartilhados e como os alunos têm se desenvolvido dentro desse ambiente.

Os pais precisam conhecer o ambiente em que os filhos vão frequentar ao longo da sua jornada educacional, os professores e funcionários com quem eles vão conviver e entender as regras e concepções que regem o ensino. 

Além disso, diferentes pesquisas apontam que pais ou responsáveis se sentem muito mais motivados a participarem ativamente da vida acadêmica de seus filhos e dos debates promovidos pela instituição quando são ouvidos e incorporados em decisões que envolvam o futuro das crianças e adolescentes. 

E como na visão dos pais sempre há algo que pode ser melhorado, porque não lhe dar voz ativa? Escutar as questões dos pais vai além das boas práticas de comunicação, ela é capaz de fortalecer questões socioemocionais, interações e aproximar a comunidade para a construção do projeto político pedagógico personalizado para a formação integral do estudante. 

Entretanto, os educadores sabem que conduzir uma reunião de forma eficiente e usá-las de forma estratégica é um verdadeiro desafio, pois alguns pais tendem a chegar ansiosos para resolução de problemas individuais o que, muitas vezes, acaba comprometendo o foco e tumultuando a organização do debate coletivo. 

Para evitar que as reuniões sejam frustrantes tanto para os familiares, quanto para a escola, preparamos seis dicas que podem ajudar no sucesso do encontro. Confira:


1. Organize um roteiro para a reunião de pais

Saiba o que falar:  para não perder o foco, correr o risco de ser prolixo ou esquecer de informações importantes durante o encontro, é fundamental planejar um roteiro prévio. “Essa é nossa chance para ‘pescar’ os pais e desmistificar a escola, por isso a importância de promovermos encontros eficientes. Pergunte à sua equipe qual o objetivo desse encontro e construa um roteiro a partir daí”, aconselha a pedagoga Neuza Valim, que atua há 15 anos como diretora de escolas da Rede Estadual de Educação de São Paulo.

Seja objetivo: reuniões longas e com pautas confusas além de serem enfadonhas e improdutivas, podem afastar as famílias da escola. Afinal, tendo em vista a rotina corrida da maioria dos pais da atualidade, um encontro extenso e sem foco pode levá-los a sentir que perderam tempo e que não conseguiram aproveitar a reunião – argumentos suficientes para desmotivá-los a estarem presentes nos próximos encontros.

Desafios para atrair os pais para a escola? Confira também o artigo 5 maneiras para atrair os pais para a escola. Clique aqui para ler depois.

2. Escolha de datas e horários adequados aos pais

Faça uma enquete para saber o melhor horário da reunião: a escolha da data e do horário da reunião de pais pode ser determinante para o seu sucesso. De forma geral, um encontro agendado às 15 horas de uma quarta-feira, por exemplo, pode não ter um quórum significativo. Para evitar que a sala fique vazia, uma medida produtiva é fazer uma enquete com as famílias para saber quais são os horários mais adequados à maioria. 

A funcionalidade Enquetes, do ClassApp, pode contribuir para que a realização dessa consulta seja ágil, prática e simples. Por meio dela é possível criar uma única enquete e enviar para toda turma, de uma única vez, sem perder a privacidade. Evitando assim, que a enquete gere discussões desnecessárias entre os pais.

reunião de pais - invite
Exemplo de como realizar uma enquete pelo ClassApp. Conheça todas as funcionalidades do aplicativo aqui.


A pesquisa pode ser feita, por exemplo, no momento da rematrícula do aluno ou até mesmo ao final da primeira reunião do ano.

Informe a data com antecedência: informar a data do encontro com antecedência e contendo informações relevantes (como pauta e tempo de duração previsto) também facilita à organização dos pais.

3. Garanta que os pais sejam informados sobre a reunião

Melhore a comunicação com os pais: na hora de divulgar a reunião, é importante que a instituição se esforce para garantir que todos os pais sejam avisados. No entanto, sabemos que esse é um dos grandes desafios das escolas. Afinal, muitas vezes, os bilhetes enviados através dos alunos acabam não chegando aos pais por inúmeros motivos. O uso de portais ou emails também apresentam riscos, pois não há garantias para saber se as famílias, de fato, acessaram a informação a tempo, ainda que a escola se programe para enviar o convite com algumas semanas de antecedência.

“Além disso, com as duplas e até triplas jornadas dos pais modernos, há o risco deles, simplesmente, esquecerem. Por isso, os colégios devem buscar formas inteligentes de lembrá-los, mas atentos também para não os sobrecarregarem com inúmeras mensagens. Hoje, já existem no mercado tecnologias que podem ajudar neste quesito. Capazes, por exemplo, de detectar quais famílias ainda não leram o recado e mandar lembretes apenas para esse grupo que ainda não acessou a informação”, indica Vahid Sherafat, cofundador da ClassApp: sistema especializado em comunicação escolar.

4. Prepare o ambiente

Quebre o gelo e permita com que os próprios pais comecem a falar: ser criativo na preparação do ambiente para receber as famílias pode contribuir para “quebrar o gelo” do encontro. Uma sugestão, por exemplo, é decorar a sala com trabalhos realizados pelos alunos e oferecer aos pais a oportunidade de identificar o trabalho do filho entre tantos outros. Iniciar a reunião com dinâmicas de grupo ou com leituras de textos inspiradores também podem ser formas agradáveis de recepcionar as famílias.

“Além de ser uma forma afetuosa e diferente de dar as boas-vindas em uma reunião, dar visibilidade à produção dos alunos é um procedimento que reforça e valoriza a aprendizagem”, observa Neuza. 

Mostre aos pais o que foi planejado para falar: disponibilizar cópias da ementa da reunião pode ajudar os pais a seguirem focados nos assuntos a serem discutidos. Assim como, dispor de papéis e canetas para que eles façam observações e sugestões também é uma forma gentil de convidá-los a se manterem concentrados na reunião.

Agrade os pais: outra dica para deixar o ambiente mais familiar e aconchegante é providenciar água, café, lanchinhos e biscoitos. Embora não seja primordial, esse tipo de cuidado pode agradar em cheio aos pais que, por exemplo, virão à reunião direto do trabalho.

Reserve espaço para os alunos: também é importante pensar em soluções para quem não tem com quem deixar as crianças. Uma saída é organizar um espaço onde elas possam ser recebidas durante o encontro, deixando um funcionário responsável para cuidar dos pequenos.

5. Ouça os pais de forma individualizada

Fale com os responsáveis individualmente: o diálogo bilateral é fundamental para o sucesso do encontro entre escola e família. No entanto, durante uma reunião geral, para evitar tumultos e desvio de foco, o mais indicado é ouvir os pais de forma individualizada. Para isso, os colégios podem separar um momento, que pode ser ao final do encontro, por exemplo, onde a equipe se organize para conversar com os familiares.

“Os pais também têm muito a contribuir. É preciso prever um espaço para a troca de ideias, pois o direito à voz enriquece esse tipo de encontro”, defende Janaina Maudonnet, professora da especialização em Educação Infantil da Faculdade Sumaré, em São Paulo.

Crie canais para falar com as famílias: já ao longo do ano letivo, criar canais para ouvir e interagir com as famílias, apresentando formas e mecanismos para atender e compreender suas demandas, deve ser uma preocupação constante e primordial por parte da escola.

Com a chegada da pandemia no Brasil e seus inúmeros desdobramentos e desafios, estar atento ao sentimento dos pais no retorno às aulas é fundamental. Preparamos um artigo para contribuir. Clique aqui para ler.‍

6. Documente

Outra sugestão da autora Carmem Galluzzi é que a escola designe um funcionário para registrar em ata o nome de todos os que estiveram presentes e os assuntos abordados no encontro. Esse documento pode ser usado tanto para simples registro (do próprio colégio e dos pais presentes), como, principalmente, para dar ciência dos temas às famílias que se ausentaram da reunião. “Documente, envie para todos pais e disponibilize uma cópia para que os alunos também tenham acesso aos temas abordados”, sugere.

Há várias formas de disponibilizar essa cópia, a mais ágil e sustentável é um aplicativo de comunicação, como a ClassApp.

Quer modernizar a reunião de pais e tornar a comunicação da sua escola ainda melhor? Clique aqui, entre em contato com um de nossos consultores e entenda como podemos te ajudar nessa missão!

Leia também