Volta às aulas com segurança: como monitorar a saúde dos alunos?

Novidades

Chegamos a um momento crucial do nosso ano letivo. Depois de mais de 3 meses de aulas online, secretarias estaduais e municipais começaram a discutir e divulgar as estratégias para o retorno das atividades presenciais nas escolas de educação básica.

Até aqui, quase toda a energia de gestores e de professores foi dedicada a construção de soluções que permitissem a continuidade das atividades pedagógicas remotamente. A partir de agora, o planejamento para a retomada das aulas presenciais, que serão retomadas concomitante ao ensino remoto, passa a ser prioridade para as instituições. 

Em todos os debates sobre o retorno físico dos alunos às escolas há o consenso de que a segurança sanitária será mais do que uma prioridade: ela será uma exigência para que as instituições voltem a receber professores e alunos. É provável que todos já tenham se deparado com as regras de higienização e reorganização do espaço escola. Porém, tudo que estiver ao alcance da escola e que possa ajudar a evitar que o local seja um foco de contágio, deve ser considerado e priorizado pelos gestores. 

Devemos considerar, por exemplo, que muitos pais e até mesmo professores estão receosos em relação ao seu retorno ao ambiente escolar. Considerando isso, um ponto que tem recebido pouca atenção de gestores, e que pode ser um dos mais importantes para oferecer segurança e conforto para todos, é o monitoramento de contágio para alunos.

Claro que todos devem pensar, em um primeiro momento, nas sugestões governamentais para medição da temperatura de alunos e professores como condição para a presença destes na escola. Porém, é possível ir muito além. Neste momento, informações ágeis e qualificadas farão toda a diferença para tomada de decisão e confiança das famílias.

Pensando nisso, a ClassApp em parceria com o Escolas Exponenciais desenvolveu o Monitor Bem-Estar, uma ferramenta que será um dos principais aliados do gestor escolar durante o processo de retomada das aulas. 



Como funciona?

Totalmente integrado ao ClassApp, o Monitor automatiza a coleta de informações de saúde de alunos da escola, gerando relatório que trarão um diagnóstico preciso do risco de contaminação, ajudando assim na organização do espaço escolar.

Para ter acesso à ferramenta basta que a escola seja usuária do ClassApp e tenha alunos, professores e funcionários cadastrados no aplicativo. A partir do momento em que a escola ativar o Monitor Bem-Estar, o próprio sistema passa a enviar pesquisas regulares a cada usuário com questionamentos sobre sintomas e casos confirmados da doença, além de situações de exposição ao risco de contágio.

Todos os dados são compilados pela ferramenta de maneira automatizada e dão origem ao um quadro intuitivo de gráficos com todas as informações que o gestor precisa para avaliar a situação da comunidade escolar.

Já é cliente ClassApp? Saiba como começar a usar o Monitor do Bem-Estar



As principais informações coletadas através das pesquisas enviadas aos pais são:

- existência de casos confirmados da doença no grupo familiar do aluno

- existência de pessoas sintomáticas no grupo familiar do aluno

- contato direto de pessoas do grupo familiar com casos confirmados da doença.

A partir desses dados, e da quantidade de respostas, a ferramenta apresenta o percentual de casos de risco e os alunos que têm uma probabilidade maior de estarem seguros. O gestor, tem ainda, através do ClassApp, o acesso completo aos relatórios detalhados, identificando como cada aluno respondeu à enquete.

Para os pais, é uma forma da escola mostrar que está cuidando de cada detalhe. Todos os gráficos e resultados das enquetes são de visualização exclusiva dos gestores cadastrados no ClassApp. Dessa forma, além de ativo e automatizado, o Monitor Bem-Estar é uma ferramenta segura que respeita a privacidade dos usuários.

Ainda não é cliente ClassApp e se interessou pela nossa plataforma? Você pode conhecer mais sobre ela aqui.


Leia também