Valorização dos professores: trabalho em equipe ajuda a escola a crescer

Comunicação Escolar

Cuidar da valorização dos professores vai além de oferecer um bom salário e benefícios. Para crescer, essa valorização precisa ser trabalhada a fundo, com o estímulo aos colaboradores para que eles entendam que integram um time e que o trabalho em equipe é a chave para a mudança.

Co-fundador e CEO da ClassApp, Vahid Sherafat resume essa situação em uma frase: “uma escola é um time e não pode ter pessoas com postura individual”.

Confira abaixo cinco dicas para adotar na sua escola e trabalhar a valorização dos professores:

1 - Pare de reclamar


O primeiro passo para transformar seus colaboradores em uma equipe é fazê-los entender que a reclamação gera um desgaste de energia muito grande que poderia ser direcionada para mudanças e evolução.

A conversa, estimulada pela escuta ativa, é essencial para que a equipe tenha uma nova postura. “A transformação exige um combinado entre as pessoas, então podemos passar os desafios perdendo a batalha ou lembrar disso como o melhor momento da vida”, diz. E Vahid lembra que a transformação não acontece sozinha, ela demanda do trabalho em equipe.

A partir da troca com os colaboradores da escola, o gestor consegue fazer um compromisso com o futuro coletivo da instituição e é isso que vai ajudar a unir o grupo a caminhar com o mesmo propósito. “Isso não tem a ver com salário, tem a ver com o que a gente quer viver daqui pra frente”, explica.


2 - Fazer uma autoavaliação


Seguindo com o processo para a valorização dos professores, outra sugestão de Vahid Sherafat é fazer uma autoavaliação da equipe, perguntando aos colaboradores como eles contribuíram na evolução dos demais colegas de trabalho. 

“A ideia é que o colaborador se torne responsável pelo time. Cada um vai saber seu papel e refletir sobre ele. Isso pode fazer o professor pensar: como eu posso ajudar a escola a ser melhor? Ou uma assistente ter noção do impacto que tem e como o trabalho dela ajuda a instituição a crescer”, explica. 

Ele chama a atenção para o fato de que muitos dos funcionários podem não saber responder essa questão, porém ter a percepção de que seu trabalho impacta o próximo é importante.

“Num time não existe trabalho mais importante que o outro. Se na sua organização existe essa impressão, isso acaba gerando um efeito negativo de que só algumas pessoas geram impactos e outras não”, diz. 

É papel do líder fazer com que esse funcionário entenda, independentemente da função, que o trabalho dele gera um impacto para além.


3 - Promova uma evolução dentro da escola


Ainda sobre o aspecto de que todo trabalho dentro da escola gera impacto, o gestor precisa entender que a evolução da sua instituição acontece dentro da própria escola. É importante promover rodas de conversa e mostrar o além: faça a equipe entender como o trabalho individual, de um professor por exemplo, pode fazer a escola ganhar alunos.

“Quando pensamos em crescimento, pensamos em publicidade para fora da escola, mas a evolução acontece de dentro para fora”, diz Vahid.

“Quando levava minha filha para a escola tinha uma professora que era muito atenciosa. Conversei com minha esposa e comentei como essa professora recebia bem, olhava nos olhos da minha filha pra depois olhar nos nossos. Éramos fãs dela pelo carinho que essa professora transmitia”, exemplificou.

Segundo o CEO, é esse trabalho que gera um impacto para evitar a evasão escolar. É papel do gestor ter conversas com a equipe e mostrar o além, que o trabalho de uma professora pode impactar nos resultados a longo prazo.


4 - Amplie a comunicação


A partir do momento em que o professor passa a ser valorizado e se sente integrante do time da escola, ele se torna um promotor da instituição. Neste momento, facilitar a comunicação desses funcionários com os pais, estreitando a relação família-escola, é essencial.

Vale lembrar que reclamações sempre existirão, independente do canal que transmita a mensagem. “Quanto mais se dificulta a comunicação, mais pesado chega o feedback”, resume Vahid.

Com o ClassApp, é possível ampliar e facilitar a comunicação do pai com o professor. Se a família tem um canal direto, às vezes esse feedback pode vir de forma mais leve. “O pai vai procurar os professores antes da insatisfação chegar num nível grande”, diz. “Outra questão é que ao simplificar esse contato, também fica mais fácil dos pais enviarem feedbacks positivos”, lembra Vahid.


5 - Valorize Feedbacks entre responsáveis e professores


Limitar a conversa dos pais com os professores, numa postura paternalista, é prejudicial para o empoderamento dos colaboradores. Vahid Sherafat lamenta que muitas escolas ainda adotem essa postura, levando o feedback negativo para o professor em vez de deixá-lo ouvir diretamente da família. Isso pode fazer com que esse colaborador sinta medo dentro de sala de aula, adotando uma postura retraída.

“Eu falo isso com tristeza porque acontece todos dias. Se um pai reclama do professor, deixe eles conversarem diretamente. O professor é o seu profissional responsável pela educação da criança e tem o direito de escutar e de ser ouvido. Nenhum profissional digno aceita que outra pessoa receba uma crítica sobre o seu serviço”, argumenta.

Os professores são os embaixadores do processo da educação. “A liderança tem que honrá-los e valorizá-los. Os professores marcham na frente e o gestor tem que ir na retaguarda, dando o apoio”, diz Vahid.

“Se eles ouvirem um feedback ruim, tem que escutá-lo e apoiá-lo. Quando se tem uma vitória, tem que ser compartilhada. É assim que uma escola cresce e impacta mais, pois professores e gestores crescem juntos” finaliza.

Construir um time dentro da escola é uma das grandes ferramentas para a valorização dos professores. É criar um vínculo forte dentro da escola e não com os clientes, porque eles podem destruir uma instituição que não trabalha como uma equipe. Conheça as funcionalidades do ClassApp e veja como ele pode te ajudar neste processo.

Leia também