Como as escolas podem estar atentas aos sentimentos dos pais no retorno às aulas presenciais?

Comunicação Escolar

Se antes da pandemia o relacionamento entre escola e família já era importante, agora ficou ainda mais evidente o quanto é fundamental que toda a comunidade escolar funcione como um time. O isolamento social, medida de segurança necessária para se proteger do vírus, mudou o ambiente escolar. E, com este novo cenário, é preciso que professores, equipe pedagógica, gestores e pais de alunos estejam com um diálogo assertivo e alinhado para que o retorno das aulas presenciais ocorra de maneira segura e tranquila. Mais do que nunca, as escolas devem estar atentas aos sentimentos dos pais.

Nesse sentido, o acolhimento e a afetividade foram pilares que nortearam a Escola Bosque das Letras, localizada em Jandira (SP), na volta das aulas presenciais. “Preparamos essa retomada presencial com muito cuidado, cautela e carinho, seguindo os protocolos de segurança, sem perder nossa característica do acolhimento. Sabemos o quanto este período distante da escola foi difícil para todos e ainda estamos vivenciando um momento delicado”, afirma a diretora da escola, Juliana Scarcello Conte.

Manter um atendimento próximo à família sempre foi prioridade na escola e, de acordo com Juliana, essa prática favoreceu a continuidade do relacionamento que já estava consolidado, mesmo que à distância. Estávamos unidos à distância com a continuidade de nossa comunicação diária através do aplicativo ClassApp. Desta forma, conseguimos passar segurança para os pais que mantiveram seus filhos matriculados conosco e agora estão retornando gradativamente”, pontua.

Descubra como o ClassApp pode auxiliar no fortalecimento do relacionamento entre a escola e as famílias, clique aqui.

Buscando sempre pela conexão com os pais e mães dos alunos, a escola bilíngue Kinder Kampus School, que fica em São Paulo, apostou em conversas diretas e transparentes desde o início da pandemia no Brasil. “Nessas conversas, a gente pôde sentir as famílias, escutar a dor delas, o sentimento delas e até mesmo refletir sobre alguns posicionamentos da escola”, afirma a gestora e diretora pedagógica da escola, Fernanda Nyari.

E esse cuidado adotado por essas instituições de ensino, de estar perto das famílias, ainda que remotamente, foi fundamental para tranquilizá-las no momento da retomada presencial.

Como a escola pode sensibilizar os pais?

Escuta ativa, acolhimento e conversa. Esses são os caminhos que a escola deve seguir para sensibilizar os pais no retorno das aulas presenciais. Afinal, estar atento aos sentimentos da família será fundamental para a volta às aulas. Por isso, desde março, quando as aulas foram suspensas, a escola bilíngue Kinder Kampus School passou a realizar constantes reuniões virtuais com os pais, para que a comunicação sempre fosse assertiva.

Porém, mais do que isso, a gestora e diretora pedagógica da escola Fernanda Nyari conta que se preocupou e se preocupa em ouvir, diariamente, os anseios dos pais. “Assim que sentimos um sinal de fumaça, de qualquer nível de ansiedade, já entramos em contato e conversamos com a família. Estamos todos atentos, todo funcionário da escola é um ponto de escuta. Então, ao sentir ou ouvir qualquer coisa, a liderança é comunicada. Entramos em contato com a família, escutamos, tentamos sentir a dor da família para orientar e solucionar da melhor forma”, compartilha.

Ser proativo na criação dos espaços de escuta é fundamental para a sensibilização das famílias. É importante que a escola tenha diferentes estratégias para conseguir contemplar os diferentes perfis de pais. A realização de Enquetes, por exemplo, ajuda a ouvir aqueles pais que estão mais afastados e que, muitas vezes, não estão encontrando o seu local de fala ou não sabem como passar um feedback para a escola. Além disso, as respostas são como um termômetro, mostrando como a maioria das famílias está se sentindo.

Descubra aqui uma maneira prática para ouvir os seus clientes, aumentar a fidelização e diminuir a evasão


Algumas das principais estratégias adotadas pela Escola Bosque das Letras foram utilizar os canais de comunicação direto com as famílias por meio do aplicativo da escola, o ClassApp, e promover a manutenção dos vínculos entre escola e família, por meio de reuniões, encontros semanais virtuais, realizações de lives e envio de atividades.

E antes da reabertura da escola, foi realizada uma reunião de pais para apresentação do protocolo de segurança, que também foi enviado pelo ClassApp. “Na reunião, ouvir os sentimentos e expectativas de cada pai foi importante, pois assim, conseguimos trocar estudos realizados e experiências pessoais, demonstrando todo o empenho que tivemos para preparar um ambiente seguro e com procedimentos rígidos, sem perder o acolhimento e um olhar individualizado à cada criança que é a essência de nossa escola”, destaca a diretora da escola, Juliana Scarcello Conte.

Pais contam quais atitudes da escola os sensibilizaram para a volta às aulas

Participar das reuniões promovidas pela instituição de ensino e saber claramente o as medidas sanitárias adotadas pela escola, foram fundamentais para que o jornalista André Tahan Piva, de 39 anos, se sentisse seguro em permitir que os dois filhos, uma menina de 2 anos e um menino de 3 anos, voltassem para às aulas presenciais. 

“A escola adotou um monitoramento da saúde das crianças e das famílias para saber se alguém estava contaminado ou tinha tido algum contato. Essas informações foram nos dando segurança para fazer a retomada. Assim que ouve o anúncio de que a escola iria retomar, colocamos nosso nome na lista”, conta.

Para a gerente Taciana Trigo, que é mãe de uma garota de 5 anos, os comunicados enviados pela escola por meio do aplicativo ClassApp, mantendo um canal de comunicação assertiva, é o que a tranquilizou. “Somente com esse cuidado para ouvir os pais e responder com explicações claras sobre os protocolos de biossegurança, as formas de acolhimento, o planejamento das atividades é possível reafirmar a confiança para o retorno dos alunos para as aulas presenciais”, ressalta.

Já Fabiany Rosalina Castilho, que é mãe de um bebê de 2 anos, afirma que a pandemia trouxe muita insegurança e incerteza para as famílias, mas que essas angústias foram amenizadas devido à aproximação que a escola buscou por meio do diálogo. “É de extrema importância que nós pais estejamos muito próximos da escola, não só saber as medidas que a escola está tomando e os próximos passos, mas também para contar o que está acontecendo com nós, famílias. Essa troca é essencial para um relacionamento assertivo. Sentir que a escola dá prioridade para esta troca, que quer saber o que está acontecendo com cada criança e suas famílias, nos traz muita confiança”, pontua.

Nesse momento de incertezas como vivemos, é fundamental que a escola seja protagonista da comunicação, trazendo segurança aos pais. Por isso, ter uma agenda digital escolar é essencial, pois essa favorece o relacionamento com as famílias. Além disso, por meio dela, é simples e ágil descobrir como os pais estão se sentindo.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com seus colegas.

Leia também