Aplicativos para adotar na sua escola ainda em 2020

Comunicação Escolar

A pandemia provocou profundas transformações na sociedade, alterando boa parte da forma como trabalhamos e também da maneira como nos relacionamos. De um dia para o outro, diversos gestores foram obrigados a implementar novas tecnologias para poder continuar o ano letivo, como os aplicativos para escola.

“Estamos passando por um momento de profundas transformações em todos os setores da nossa sociedade. Muitas empresas, consagradas no mercado dos negócios, foram extintas ou sofreram uma enorme contração por não se adaptarem ao novo cenário de mudanças. A pandemia tornou ainda mais evidente essa realidade, especialmente na educação”, reflete a pedagoga e psicopedagoga Eloisa Mota.

aplicativos para escola

Planejamento 2021: hora de analisar e implementar mudanças

Para as especialistas, o momento agora é de planejar o próximo ano escolar, identificando os erros e acertos de 2020. Entretanto, além disso, é fundamental refletir sobre as tecnologias que devem fazer parte de 2021, mas que podem (e devem) ser adotadas ainda no ano que segue vigente.

“O que vimos foi que as escolas mais preparadas, as que já se preocupavam em incorporar tecnologias em suas práticas, tiveram menos dificuldades quando a pandemia chegou. Então, a dica é: inovar sempre e constantemente, e, se possível, ter alguém responsável por pesquisar por novas soluções e gerir a inovação dentro da instituição”, exemplifica a fundadora do canal Tecnologias para a Educação, Francine Canto.


Tudo que você precisa saber para inovar na comunicação da sua escola!
Baixe agora o
Manual da Agenda Digital


Como tudo indica que o ensino híbrido deve continuar presente em 2021, Mariani Blanco, que é Especialista em Educação e Tecnologia com ênfase em Produção e Uso de Tecnologias para Educação e administra a conta @maisqueaulatec no Instagram, sugere aos educadores focarem no engajamento e interação entre os alunos e com os alunos, tanto para facilitar a adaptação quanto para aumentar o interesse e motivação durante a aula. “Para isso, podemos usar desde metodologias ativas até atualidades, porém lembrando sempre de utilizar a mesma linguagem do aluno para que ele consiga te entender”, propõe.

Já a professora de educação básica Érica Lima, que é pós-graduanda em tecnologias aplicadas à sala de aula, indica aos gestores a realização de um diagnóstico sobre as competências e habilidades desenvolvidas mediante a abordagem dos conteúdos e de cada segmento, assim como mensurar o aproveitamento dos professores e alunos durante o ano.

“Faz-se necessário entender quais as melhores soluções digitais que atendam às necessidades, não só de finalizar conteúdos ou realizar atividades, mas desenvolver habilidades a partir do envolvimento e interação das partes”
, pondera.

Nesse contexto, a pedagoga e psicopedagoga Eloisa Mota acredita que a escola deva realizar, junto com o corpo docente, uma análise crítica das atividades executadas em 2020, considerando as realizações, as dificuldades, os erros, os acertos e, especialmente, a motivação dos alunos.

“Em seguida, a escola deve repensar a sua sala de aula, buscando torná-la mais dinâmica, por meio de novas metodologias, além de oferecer aos seus alunos aquilo que os fascina, ou seja, a tecnologia", considera.

Aplicativos que auxiliam na rotina das escolas

Para a pedagoga e psicopedagoga Eloisa Mota, a sala de aula tradicional, onde o professor transmitia os conteúdos aos alunos apenas pelo método expositivo, não atende às novas demandas do mundo moderno, inclusive no contexto pandêmico.

“O ensino híbrido deve ser considerado em qualquer situação, pois, se bem aplicado, torna-se um forte aliado no processo de ensino-aprendizagem, mesmo em um cenário de normalidade. O uso de ferramentas tecnológicas é fundamental no mundo moderno e permite uma maior flexibilização em nosso planejamento, particularmente em situações adversas”, destaca Eloisa.

Ao analisar as tecnologias que foram utilizadas neste ano, Eloisa ressalta que muitas delas vieram para ficar e são boas ferramentas para auxiliar a rotina escolar. Entre as sugestões da pedagoga, estão: Canva (para criar e editar fotos); Insho (editor de vídeos); sala de aula virtual, como o Google Classroom, também conhecido como Google Sala de Aula; aplicativos de armazenamento em nuvem, como Google Drive; o Zoom, que pode ser utilizado para aulas ao vivo e reuniões; e o Kahoot, que permite ao professor lançar questões e exercícios, aplicá-los em sala e acompanhar o desempenho escolar dos alunos.

“Tem ainda o
ClassApp, que é um aplicativo que conecta instituições com pais e alunos por meio de um sistema inteligente. Com ele, as escolas passam a ter seu próprio sistema de comunicação privado, seguro e completamente gerenciável, destaca.

Fundadora do canal Tecnologias para a Educação, Francine Canto, reforça a importância de apostar nas ferramentas que auxiliam a comunicação entre a escola, os alunos e as famílias. 

“Com toda tecnologia que temos, não faz mais sentido usar aquela velha agenda de papel ou ferramentas informais, como os grupos de Whatsapp. Há aplicativos mais profissionais, como o ClassApp, que centralizam e formalizam toda a comunicação escolar, permitindo não apenas enviar informes gerais, mas também lições de casas e até mesmo boletos. Dessa forma, toda a comunicação fica organizada em um só aplicativo, o que facilita muito a vida de todos”, enfatiza.

Juliana Fadel, mantenedora da escola Fadelito, com 15 unidades localizadas em São Paulo, conta que o ClassApp foi uma ferramenta importantíssima, pois permitiu o relacionamento com  os pais e também auxiliou na prestação do serviço educacional, nesse momento de aulas remotas. "Nós conseguimos utilizar para diversas finalidades tanto para manter o contato e estabelecer o vínculo emocional com essas famílias, como também trabalhando o conteúdo e mantendo o ensino e a aprendizagem ativos", afirma. 

Deseja ter o ClassApp na sua escola?
Clique
aqui para falar com nossos consultores.

Ainda de acordo com Francine, outra tendência é o uso de jogos e gamificação. “Há jogos, como os da Xmile Learning, por exemplo, que tornam a aprendizagem muito mais divertida para os alunos, enquanto geram dados para que os professores avaliem seus alunos com a ajuda da inteligência artificial”, explica.


Pandemia evidencia a importância da tecnologia na educação

Se por um lado a pandemia trouxe um cenário desafiador para a educação, toda a transformação que o vírus provocou também evidenciou, ainda mais, o quanto a tecnologia pode ser utilizada para aproximar o aluno do conhecimento.

“São recursos que enriquecem e motivam o processo de ensino e aprendizagem. O uso das tecnologias em sala de aula deve fazer parte do ambiente escolar, auxiliando no aprendizado. Família e escola precisam enxergar, no uso equilibrado da tecnologia, a possibilidade de um aprendizado mais significativo, instigante e desafiador”,
afirma a pedagoga e psicopedagoga Eloisa Mota.

Para a especialista em Tecnologias para a Educação, Francine Canto, apesar de muitos ainda estarem associando a tecnologia com o isolamento, ela acredita que aos poucos todos perceberão que, se bem utilizadas, os recursos tecnológicos podem, além de aproximar e facilitar a comunicação, incluir as famílias no processo de aprendizagem dos alunos. 

“A pandemia nos mostrou o quanto as tecnologias podem ser úteis para as escolas e potencializar ainda mais o aprendizado dos alunos, facilitando a vida não só dos alunos, mas também de toda a comunidade escolar, integrando pais, professores e gestores”, completa.

Descubra como engajar pais e professores com as novas ferramentas tecnológicas: Clique aqui para baixar o e-book

Leia também

Receba artigos e dicas gratuitamente

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form

ClassApp
ClassApp Disponível no Google PlayClassApp Disponível na App Store
Nosso FacebookNosso InstagramNosso YouTubeNosso WhatsApp
Confira um Case de Sucesso ClassApp
Fale com um consultor